terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Diário da Mochila #2: Contra 4 - um manifesto à dificuldade nos games!




      Talvez algumas pessoas achem exagerado este título que dei, mas tudo bem, levem-no como uma opinião pessoal, claro, como tudo aqui. 
      Hoje muito se fala sobre a dificuldade dos games, ou sobre a ausência dela, tá, tá ok, temos aí Ninja Gaiden, Demons Souls, Dark Souls e etc,(antes que alguém rasgue a tanga de raiva por não citar algum jogo que seja difícil utilize o espaço a seguir e insira o nome faltante_______________________).


      Antes de mais nada, uma música para a trilha sonora do post:











      Contra é uma série de jogos de tiro e plataforma originária em 2D, produzida e lançada pela Konami para arcade no ano de 1987 e, posteriormente, portado para vários sistemas. Conhecida por sua dificuldade desafiadora, Contra deve ser muito lembrado por ser um dos jogos de Nes que ninguém viu o fim. Sua trama narra as aventuras de dois soldados descamisados e bombados, Mad Dog e Scorpion, que lutam  sozinhos contra uma horda alienígena que deseja dominar nosso planeta.






      Uma nota merece ser feita aqui, estes heróis até lembram um pouco, ao menos na capa do game os atores Stallone e Schrwarzenegger. O jogo foi um sucesso, principalmente por poder se jogar com dois jogadores.


Cartaz de Contra, tudo aí se resume em anos 80.



      Após 20 anos, em 2007, a Konami decidiu lançar um jogo decente de Contra, e para Nintendo DS. A série, que já sofria a algum tempo com títulos medíocres, acabou comemorando seu aniversário com talvez o melhor jogo da franquia, (na minha modesta opinião, o melhor) Contra 4.
      A trama de Contra 4 é logicamente pueril mas, convenhamos, quem se importa? Vamos lá: Em 2638, 3 anos após os eventos de Contra 3 (Snes) e 2 anos antes de Contra: Hard Corps (Mega Drive, Genesis), os aliens da Red Falcon estão derrotados e o mundo vive em paz, mas, como paz não é emocionate (e pouco lucrativo para a Konami), surgem então os alienígenas de Black Viper, que acabam tirando os heróis Mad Dog e Scorpion da sua aposentadoria e, claro, fazendo-os tirar sua camisa, mas desta vez eles não estarão sozinhos e voltam acompanhados de mais homens musculosos, (escrever este post me faz ver que essas nuances o deixam um pouco ruim) Bill Rizer e Lance Beam, caras, com esses nomes os aliens devem estar loucos de enfrentar essa turma.


Opa, eles estão de ombreiras!


      Se achou muito testosterona, saiba que, se terminar alguns challenges que o jogo disponibiliza, poderá jogar com a cyborgue Lucia e Probetector.


Não é porque os heróis sofrem de calor absurdo que a heroína iria vestir menos roupa que um maiô...

      Contra 4 é um dos jogos mais difíceis lançados para Nintendo DS, com 9 fases infernais, infinitos inimigos, chefes pauleiras e com um level design excelente que o fará morrer muito neste incrível game.





      Umas das implementações que, na minha opinião, dificultam um pouco é a segunda tela de DS, que faz o jogador ter que dobrar a atenção para ver de onde vem o perigo em relação aos jogos anteriores.
      Contra 4 tem uma jogabilidade ótima, repostas precisas dos botões, detalhe para o gancho que usa apertando o botão X, uma ferramenta muito importante para transitar entre as telas e se usada sabiamente pode te salvar a vida, algumas delas ao menos.
      Se jogar, não inicie no easy pois além de perder muito da experiência do jogo e deixar de ir nas duas últimas fases você verá as frustrantes telas abaixo:


Sua masculinidade acabou de ser ferida.


      Falando da dificuldade é bom listar:
Easy– 10 vidas, 5 continues e  7 estágios com inimigos e tiros lentos;
Normal– 5 vidas, 4 continues e 9 estágios, com tiros e inimigos rápidos moderados em relação ao hard.
Hard– 3 vidas, 3 continues 9 estágios com tiros e inimigos bem rápidos, um verdadeiro Contra.
      Confesso que sofri muito até mesmo para poder terminar a 1ª fase quando o joguei no início, mas, como todo o jogo, tudo se resume a dedicação, e para mim foi prazerozo, já que se trata de um dos meus gêneros favoritos.

      Aconselho a quem possui DS que jogue Contra 4, ele merece, é um jogo bom, difícil, mas é recompensador, avançá-lo fará com que pense que se torna um jogador mais hábil.
Uma frase que vi no faq de Contra 4 escrito por EntropicLobo pode ajudar a resumir: 

“Contra 4 é classificado como B, para 'Badass'.”

E uma curiosa frase perdida no manual do jogo:

"Contra não é como um RPG, então você não será capaz de salvar seu progresso a cada dez passos. O jogo irá salvar temporariamente sua posição se sua mamãe te chamar para o jantar, mas isso lhe custará um “continue”, se o pior acontecer você irá pagar as conseqüências e irá ter que começar do início novamente, entretanto se você fizer certo será recompensado."


Hoje o vídeo game abrange muito mais público do que nos ano 80 e 90, se tornou mais popular e essa popularidade vem da sua facilidade atual, os games tem que se adaptar aos jogadores casuais, aqueles que não se dedicam, por diversos motivos, trabalho, família ou simplesmente não tem saco e não querem perder tempo criando estratégias ou apurando os reflexos. Num mundo onde até Mario (que foi um dos precursores da dificuldade em plataforma e do próprio genero) agora possui suas ferramentas para facilitar o progresso no jogo, é sempre bom poder aproveitar um game feito como todos deveriam ser, apenas com o seletor de dificuldade e nada mais.


Quando, e se tiver um filho, ele jogará Contra no hard, quem sabe assim ele não vai embora mais rápido de casa.



     Post extenso, me desculpem, a regra do blog é um Diário da Mochila de cada um por vez e este demorou um bocado a sair, havia perdido todo o texto anterior por causa do blogger no ano passado e fiquei enrolando a redigitar (isso que dá não salvar o texto em outro programa) e confesso que esta versão ficou bem menos engraçada, mas terminar este post para mim foi como terminar Contra, difícil mas recompensador, enfim os Diários poderão seguir seu caminho adiante, desculpe, Karin.

     Para quem chegou até aqui os deixo com um bônus, o trailer de como seria a adaptação de Contra feito por Uwe Boll, simplesmente incrível.













Legal, porém acho que um filme de Contra deveria ter esses caras.









Image and video hosting by TinyPic


Fonte: Wikipedia, Contra 4, gamefaq, IGN.

      Agradecimentos: À pessoa que ficou ao meu lado ouvindo os palavrões que dizia nas minha inúmeras mortes no jogo, Konami, porque sem ela não existiria game algum, Chris Watson que produziu o jogo, ao amigo que me vendeu o game e por último a quem teve paciência para ler o post, ou ao menos usar a rolagem.

Rock é um menino de verdade que jogou muito Mega Man e pensa que pode atirar plasma.

2 comentários:

  1. o do Mega drive tem uam diferença enter a versão japonesa e eua, a japonesa te dá um minilife pelo menos.

    ResponderExcluir
  2. Isso sim que eu chamo de hardcore :)

    ResponderExcluir

A Constelação dos Comentários é um lugar onde todos podem discutir suas opiniões sobre as postagens do Guia, por isso, expressem suas ideias e críticas, positivas ou negativas, contanto que sejam construtivas e respeitosas para com todos. Obrigado.